como distribuir os lugares

esta é uma daquelas tarefas, que mais ansiedade causa aos Noivos. E porque consome tempo e por vezes também é causa de alguma tensão, por cá achamos que devemos valorizar no final o esforço. Do quadro tradicional ao objecto mais inesperado, vale a pena fazer a apresentação da distribuição de lugares de forma elegante, divertida mas ... sempre de fácil leitura. Este exemplo é daqueles que pode ser uma solução inesperada e que por si só decorará um cantinho de forma absolutamente maravilhosa. Não concordam ? E agora, vamos pensar nalgumas regras básicas, para sentar toda a gente, com um óptimo resultado.

  • a turma dos avós podem ficar todos juntos ? achamos que sim, desde que não na zona mais barulhenta da sala,
  • os amigos chegados das famílias, podem preencher uma mesa, tem em comum os vossos pais .... logo, assunto de interesse,
  • as pessoas mais jovens de ambos os lados, poderão conviver lado a lado, é uma boa altura para se conhecerem melhor e nada como este dia para isso,
  • os amigos que vos acompanharam pelo liceu até à faculdade, numa mesa bem junto a vocês, são eles que irão fazer a festa desde cedo, aproveitem o mood deles, para momentos bem divertidos,
  • amigos que vêm de longe e em solo, juntinhos, juntinhos, já sabem o que diz o ditado, dum casamento sai sempre outro casamento, e por último, a vossa mesa, 
  • pais + padrinhos/madrinhas e respectivos ou, só padrinhos/madrinhas e vocês. Como veem não é necessário ficarem numa mesa sozinhos, é tempo de festa, de convívio e de estreitar laços. Por cá não gostamos da mesa presidencial no topo da sala, acreditamos que cria distância em ambos os sentidos, nada como um layout onde a mesa dos noivos está no centro da sala, bem perto de todos, e onde se fala da esquerda para a direita e de trás para a frente, animação e convívio assegurado,
  • se por acaso o seu layout é uma mesa corrida única, os noivos deverão ficar no centro, e após os pratos principais deverão passar pelos convidados mais afastados, uma troca de palavrinhas sobre o jantar, o ambiente e quanto estão felizes pela presença, cai sempre bem.

Qualquer dúvida escrevam-nos, não ficarão sem resposta.

seating plan to do.jpg

comércio sustentável e florido

as flores são um assunto sério na festa do casamento. São elas que elevam a decoração, aportam cor e tornam uma mesa verdadeiramente elegante. Independentemente da forma como se trabalham, são mesmo a estrela da companhia. Sendo por conseguinte, um valor importante na factura final, merece o assunto um breve ponderação.  Talvez por desconhecimento, as Noivas quando escolhem as flores, deveriam sempre perguntar a origem das mesmas. Virão de fora do país ? são flores de época ? e, ainda mais importante, até que ponto estamos a contribuir para o comércio local, sustentável e amigo do ambiente.

Para quem acha esta questão importante, deveríamos claramente, comprar flores oriundas do nosso comércio local, por algumas destas razões : dada a proximidade, será assegurada uma maior frescura do produto, os custos de transportes serão menores e serão sempre mais resilientes ao meio ambiente. Quanto mais comprar flores nacionais, maior será a escala deste comércio e seguramente, teremos preços mais amigáveis.

Sabia que os viveiros tanto a norte como a sul já produzem todas aquelas meninas super sofisticadas que adoramos ? é verdade, as peónias que gastamos cá por casa são 100% nacionais. As nossas fresias, pelo facto de viverem pouco no frio, são das que mais duram.  E se falarmos de flores mais rústicas, fique a saber que qualquer espécie da família dos crisântemos aguentam-se facilmente durante duas semanas. E para terminar, quando pensar nas suas flores, evite comprar rosas importadas, as nossas tem cheiro, formas diferentes e cores maravilhosas. Fará algum sentido estarmos a consumir rosas que atravessam o mundo para se manterem viçosas por um curto período de tempo ?

Já agora, motive os seus convidados a levarem as meninas para casa. Todas as flores viverão pelo menos uma semana e sem grandes cuidados. Uma boa recordação do seu dia, certo ?

o dia seguinte ... é para fechar com brunch

foi um dia maravilhoso, o fim de semana aproxima-se do fim e é hora de dizer adeus aos que resistiram até nascer o sol. Para as despedidas em grande estilo, ofereça um brunch ! Está a pensar que somos doidas e que estamos a propor mais uma despesa, depois de já ter rebentado com o orçamento. Pois não, é tudo uma questão de reaproveitamento. Se é das que não gosta de deitar comida fora, esta é a oportunidade de saborear tudo aquilo que não teve oportunidade de provar no dia D. Combine antecipadamente com o catering, a logística das sobras. Peça para guardarem em local fresco só o que tem a certeza de que não será um problema no dia seguinte. Tanto em qualidade como para servir. Evite marisco, peixe e molhos - matérias delicadas e de duração limitada. Organize um apoio para o serviço ou dinamize um grupo que não tem medo de meter a mão na massa. Sumos naturais, café e chá, não deve faltar e são daquelas coisas que qualquer um sabe preparar. Depois da mesa posta, é só disfrutar das guloseimas e da boa companhia. Se alugou uma casa ou reservou um pequeno hotel para a sua festa, não se esqueça de pedir autorização para este pequeno evento.